O que você precisa saber sobre Dermatite Atópica

Por Dra. Beatriz F. Baldi CRM 121.398

Muito comum na infância, a Dermatite atópica é um dos tipos mais comuns de alergia cutânea, caracterizada principalmente  pela pele seca,  formação de crostas e o prurido intenso.

“É uma doença genética e crônica, onde a pele se apresenta  seca, com erupções que coçam bastante chegando inclusive a formar crostas. As regiões mais comumente acometidas são as dobras dos braços e parte de trás dos joelhos. Bebês, no entanto, costumam apresentar lesões em face“ esclarece Dra. Beatriz, em entrevista concedida à Revista Estilo deste mês.

Rinite e asma podem acompanhar o quadro de dermatite atópica, e a exposição a poeira, mofo e tecidos sintéticos podem agravar o quadro. ”É importante lembrar que a baixa umidade do ar e mudanças de temperatura podem agravar o quadro desta dermatite, uma vez que a alteração está no manto hidrolipídico, ou seja, na gordura que recobre a pele, deixando assim o paciente mais sensível a estes fatores externos”, afirma Dra. Bia. Vale lembrar que a doença não é contagiosa, não sendo necessário excluir a criança do convívio social ou de atividades na escola. “Atendo diariamente crianças em meu consultório, e percebo que os atópicos ainda sofrem muito com a falta de informações”, completa a dermatologista.

Pacientes portadores de dermatite atópica podem ter maior predisposição a infecções bacterianas, pois o ato de coçar pode levar a lesões da pele pela unha, o que facilita a invasão e contaminação das feridas por bactérias.

“Infelizmente, crianças atópicas também apresentam maior incidência de verrugas e moluscos, além de infecções bacterianas”, explica a dermatologista.

Tratamentos

O tratamento consiste na restauração da barreira cutânea, baseada na restauração do pH da pele e uso de hidratantes adequados. “A hidratação com produtos irritantes pode até piorar o quadro”, alerta Dra. Beatriz.

O objetivo do tratamento da dermatite atópica visa o controle da coceira, a redução da inflamação da pele e a prevenção das recorrências. Sabonetes específicos, banhos não muito quentes e hidratação intensiva são a base para a melhora destes pacientes.Normalmente a maioria dos casos se resolvem com medicação tópica, aplicada diretamente na pele e couro cabeludo, mas infelizmente em alguns casos é necessário o uso de medicação oral, como corticóides, imunossupressores, dentre outros.”’O mais importante é orientar as pessoas sobre os cuidados que devemos ter com estes pacientes, e sobretudo alertar quanto aos riscos da automedicação”, explica a dermatologista.

A Dermatite Atópica é uma doença comum?

Estudos recentes mostram que a incidência da Dermatite Atópica tem aumentado nas últimas décadas e atualmente afeta de 10 a 15% da população em geral, em alguma época da vida.

A Dermatite Atópica pode aparecer já no primeiro ano de vida. O prognóstico é favorável na maioria dos casos, sendo que aproximadamente 60% das crianças apresentam diminuição ou desaparecimento completo das lesões antes da puberdade.